10/05/2019

ecopsicologia: quando somos para além de nós


(palavras e imagens) (parcerias da natureza)



Um artigo publicado na RaízesMag.
(RaízesMag. Nº5 - Desenvolvimento Sustentável)

À Leila, por nos ajudar a acreditar que somos mais e que somos muitos.


“Tenho cinco anos fresquinhos. Pelo menos é a palavra que a minha avó usa quando acaba de tirar os biscoitos quentes do forno. Nunca percebi muito bem. Contradições de gente crescida, mas adiante. Os meus olhos são janelas de vidraça pelas quais espreito um admirável mundo novo. Nele me descubro. As conchinhas da praia fazem-me cócegas nos pés e põem o meu coração a rir. O vento no cabelo conta-me segredos de outros tempos e leva-me lágrimas para oferecer ao mar. As pinhas têm o mesmo cheirinho das histórias contadas à lareira e o vermelho das joaninhas é tão intenso que me faz corar.

Senhora árvore bonita – disse-me o pai que és a mãe das amêndoas – venho, hoje e aqui, pedir-te ajuda. Sei que és mágica. Por isso, peço-te a ti, senhora árvore bonita, que me ajudes a não esquecer que eu sou tu e que eu sou o vento e as pinhas e as joaninhas também. Ajuda-me a não ter medo de andar descalço nem de imaginar que há gnomos nos vasos do jardim e nos bolsos do bibe. Ajuda-me a sentir através dos bigodes do esquilo voador e a nadar nas barbatanas do peixe palhaço. Ajuda-me a ser, eternamente, um devorador e um contador de histórias. Por isso, peço-te hoje, que me ajudes a lembrar de voltar sempre aqui e a nunca perder o caminho para casa. Obrigada e um abraço às filhotas, as amargas também. ”



Através dos olhos e do coração de uma criança, procurámos transmitir a essência daquilo a que chamamos Ecopsicologia. Se, nas suas raízes, eco significa casa e psique significa alma, podemos entender a Ecopsicologia como um caminho de regresso a casa. Fala-nos da ligação profunda e recíproca entre o ser humano e a natureza. Tendo esta ligação vindo a perder-se no seio de uma cultura tecnológica e industrializada, a Ecopsicologia fala-nos também da necessidade imensa de a resgatar.


(continua...)





por Ana Sevinate









SHARE:

Sem comentários

Publicar um comentário

© Histórias de Raiz . All rights reserved.